Como conseguir crédito com taxas mais baixas?

Como conseguir crédito com taxas mais baixas?

abril 24, 2019, Author: admin

Para fazer investimentos, é essencial ter um bom fluxo de caixa, o que não é uma realidade para muitos empresários, especialmente em tempos de crise econômica no país.

Seja para iniciar uma empresa ou para fazer um negócio crescer, é comum que em algum momento os empreendedores precisem recorrer a empréstimos.

Algum tempo atrás, os bancos eram a primeira opção para quem buscava aumentar o capital de giro, mas não podemos negar que a maioria das instituições pratica altas taxas de juros, além de muita burocracia no processo, que demanda inúmeros documentos para a aprovação do crédito.

A pergunta então é: existe opção melhor, que ofereça crédito com taxas menores? Compra de duplicatas e antecipação de recebíveis são práticas cada vez mais comuns no mercado atual, mas ainda existem muitas dúvidas sobre o assunto e insegurança sobre as companhias conhecidas como factoring.

Entenda melhor em que consiste essa atividade e que benefícios pode trazer para sua empresa.

O que é factoring e como funciona?

Esta é uma atividade comercial cada vez mais utilizada, que consiste na junção de prestação de serviços e compra de ativos financeiros. Trata-se de um serviço legal, com regras claras e fiscalizado por agências reguladoras do governo.

Há quem compare a operação de factoring com o trabalho de agiotas, mas é fundamental dizer que o agiota age de forma ilegal e pratica juros que se acumulam mais rapidamente do que é possível pagar, diferente do fomento mercantil, que é a compra de títulos creditórios de uma empresa, cobrando uma taxa previamente acordada e com valor ajustado em contrato. Além disso, os agiotas trabalham com pessoas físicas e as factorings só atendem pessoas jurídicas e profissionais liberais com CNPJ.

O que pouca gente sabe é que o empresário de factoring trabalha com recursos financeiros próprios e antecipa os recebíveis de uma instituição, tornando-se o responsável pela cobrança dos clientes. Isso quer dizer que a empresa fomentada vende os créditos gerados por suas vendas a prazo e recebe grande parte desse recurso antecipadamente, o que amplia seu poder de investimento.

Atualmente, essa é uma das formas mais rápidas e seguras para conseguir crédito com taxas menores, sem precisar recorrer à burocracia imposta pelos bancos.

Na prática, o fomento mercantil funciona por meio do desconto de cheques e duplicatas. Se sua empresa fatura a prazo para seus clientes, você pode antecipar o recebimento oriundo destes faturamentos vendendo seus créditos para uma factoring.

Da mesma forma, no caso de cheques pré-datados, você pode receber à vista e transferir a responsabilidade do recebimento para esta instituição que fará a antecipação dos seus recebíveis.

Qual a diferença de banco e factoring?

A primeira coisa que precisa ficar clara é que o serviço prestado por uma factoring é diferente do que os bancos fazem. A principal diferença está no fato de que a empresa de fomento comercial não realiza captação de recursos de terceiros ou intermedia empréstimos desses recursos.

Contudo, se comparada ao tradicional serviço de empréstimo bancário, a operação de fomento mercantil tende a ser mais rápida e o método revela-se mais simples e vantajoso quando o assunto é aquisição de capital de giro.

Muitos bancos costumam emprestar entre 75% e 85% do valor das faturas de uma empresa, cobrando uma taxa de juros sobre o valor do empréstimo. Ao utilizar o serviço de fomento mercantil, o empresário geralmente acaba ficando com uma porcentagem maior do total de suas contas a receber após a coleta dos pagamentos e a retirada da taxa de factoring.

A grande vantagem aqui é que não há cobrança de juros, as taxas pagas são um desconto pela antecipação dos valores e não há outra quantia a ser paga posteriormente.

Não caia no cheque especial

Um erro comum dos pequenos empresários é deixar as dívidas caírem no cheque especial ao invés de procurar alternativas mais baratas de crédito. No entanto, os juros do cheque especial estão entre os mais caros do mercado, perdendo apenas para os juros de atraso no cartão de crédito.

Fazendo uma conta rápida fica mais SIMPLES visualizar as vantagens do fomento comercial. Veja só:

Sr. José tem uma loja de bicicletas e vende sua mercadoria a prazo. A melhor bicicleta da loja custa R$4.500 reais, a qual Sr. José dividiu para o cliente em 10 vezes, sem juros. Neste mês, ele vendeu 2 bicicletas.

No entanto, assim que a mercadoria foi vendida, Sr. José precisa solicitar à fabrica o envio de novas unidades para continuar tendo essa mercadoria no estoque. O custo de cada bicicleta nova sai para Sr. José por R$3mil. No entanto, ele não possui dinheiro em caixa e só vai receber esse valor daqui há alguns meses. Como ele pode continuar comprando a mercadoria para não perder vendas?

Opção 1 – Cheque especial

O empreendedor pode fazer a compra mesmo sem ter o valor em caixa, caindo no cheque especial. Sendo assim, ele assume um compromisso arriscando que as vendas do mês poderão cobrir o investimento.

Considerando que os bancos trabalham com a taxa de cheque especial em torno de 12,5% ao mês, se o empresário fizer a compra de 2 bicicletas (R$6mil) e deixar rolar a dívida no banco, ao final do mês, ele terá que arcar com o valor de R$6.720,00.

O custo de deixar a dívida no cheque especial será de R$720,00, diminuindo a lucratividade de Sr. José.

Opção 2 – Antecipação de Recebíveis

Uma alternativa para o Sr. José seria antecipar as parcelas das bicicletas já vendidas. Atualmente (dados de 05.04.2019), a taxa do fator ANFAC (média dos últimos 30 dias úteis) é de 4,01%, tendo como média alta 4,07% e média baixa 3,95%, com Ad valorem de 0,81%.

Ad valorem nada mais é que a cobrança pela prestação de serviços da factoring, incidindo um percentual sobre o valor negociado. O Ad valorem e a taxa de fator são as principais taxas que a empresa de fomento cobra pelos seus serviços.

Consideremos que Sr. José cobrou a primeira parcela das bicicletas a vista e ele tem a receber as demais 9 parcelas de cada uma, o valor a ser adiantado é de R$8.100.

Aplicando a taxa de fator + o Ad Valorem, ele teria descontado do valor total o montante de R$390,42, recebendo no mesmo mês da venda o valor de R$7.709,58.  Veja o cálculo abaixo:

R$ 8.100 x 4,01% (Taxa de Fator – exemplo) = R$324,81

R$ 8.100x 0,81% (Ad Valorem) = R$65,61

Total de descontos = R$ 390,42

Sendo assim, Sr. José teria o dinheiro em mãos para solicitar na fábrica outras duas bicicletas e ainda sobraria R$1.109,58 para fazer outros investimentos. Além disso, por ser uma taxa mais vantajosa, Sr. José pode – nas próximas vendas – adicionar essa taxa ao preço de venda da bicicleta, para receber o lucro planejado de forma integral.

Vale ressaltar que o valor descontado na factoring é quase metade do valor que ele gastaria deixando no cheque especial.

Além da taxa, existem outros benefícios para as empresas?

Esta opção financeira pode ser bastante atraente e eficaz se levarmos em consideração que as taxas geralmente são bem competitivas, pois já existem diversas empresas praticando essa atividade.

Um grande benefício de utilizar o fomento mercantil é que as empresas de factoring sabem lidar com grande número de devedores, por isso investigam o crédito dos devedores de sua empresa e criam perfis de pagamentos. Por isso, ao usar os serviços de uma factoring, sua empresa também passa a obter informações de crédito mais seguras sobre novos clientes.

Por fim, vale dizer que o factoring é uma forma de terceirizar a gestão de seu setor de contas a receber, o que melhora as formas de pagamento oferecidas por sua empresa.

A partir daí você pode concentrar seus esforços em aumentar sua rentabilidade, além de poder tomar decisões mais assertivas diante das oportunidades por possuir dinheiro na mão e não “a receber”.

Agora que você já sabe mais sobre o funcionamento de uma factoring e como ela oferece crédito com taxas menores, nos colocamos à disposição para esclarecer eventuais dúvidas. Entre em contato conosco, será um prazer atender você!

Comments (0)